Comportamento

Com quantos meses o bebê engatinha?

A vida do bebê é repleta de descobertas e momentos marcantes. Nos primeiros meses, um dos momentos mais esperados é o engatinhar do bebê, o que pode gerar muitas dúvidas e ansiedade nos pais, principalmente aos de primeira viagem.

 

Com quantos meses o bebê engatinha

 

Quando e com quantos meses o bebê vai engatinhar, é uma das maiores preocupações desta fase. Pensando nisso, juntamos aqui algumas informações para ajudar os papais a se prepararem para essa deliciosa evolução dos pequenos. Confira!

Engatinhar é um dos primeiros marcos do desenvolvimento e independência dos pequenos, pois é o “treinamento” e fortalecimento da coordenação motora, que antecede os primeiros passos. É nesta fase que os bebês começam a ganhar confiança e interesse em se locomover sozinhos. Eles dão indícios de que estão prontos a evoluir e isso é uma percepção natural dos pais, cada um em um tempo diferente.

 

Quando o bebê começa a engatinhar?

Geralmente, a maioria dos bebês aprendem a engatinhar entre 6 e 10 meses, momento este em que já conseguem ter uma sustentação maior do corpo e pescoço e já ficam sentados sem apoio, têm a atenção voltada a brinquedos que fazem barulhos e a chamados dos pais ou cuidadores.

Primeiro, ele vai aprender a ficar na posição de quatro apoios, fazendo movimentos para frente e se apoiando nas mãos, e depois voltando à sua posição inicial. Aos poucos, vai colocando mais força nos braços e joelhos, e assim, percebe que ao se balançar e forçar as perninhas ele consegue locomover e consequentemente, engatinhar.

Este início pode ser um pouco desajeitado e pode perder o equilíbrio algumas vezes, mas o importante é não parar de tentar.

Há também os bebês que não engatinham de fato e preferem rolar, arrastar-se enquanto estão sentados ou de barriga para baixo, ou passar direto para o ato de ficar de pé segurando-se nos móveis. São possibilidades normais e comuns, mas todas exigem supervisão dos pais.

 

Como posso ajudar meu bebê a engatinhar?

Engatinhar exige paciência e treinamento, que pode ser feito colocando o bebê de barriga para baixo em uma superfície plana e de preferência dura, como o chão, forrado com edredom, EVA ou tapetes emborrachados.

Coloque brinquedos que fazem barulhos e que chamem a atenção e/ou espelhos em sua frente, um pouco distante, e faça-o alcançar. Brincar de engatinhar junto também pode ser útil, já que os bebês costumam repetir nossos movimentos, quando feitos repetitivamente, além de ser um momento divertido entre vocês.

Leia também  Impactos emocionais nas crianças na quarentena: como lidar?

Colocar almofadas, caixas e outros objetos formando um caminho com “obstáculos” pode ser interessante e estimular sua agilidade e confiança na atividade. Comemore com ele a cada vez que alcançar algum objeto/local, assim ele se sentirá mais engajado a repetir os exercícios e sua evolução será mais rápida e prazerosa.

Camas e sofás não são muito indicados para essas atividades por exigirem maior esforço da criança para se locomover, podendo gerar rejeição e choros quando colocados nesta posição.

Como dito anteriormente, fazer o bebê engatinhar exige paciência, treinamento e também persistência dos pais.

 

Meu bebê engatinha para trás. É normal?

Quando o bebê começa a engatinhar, ele vai procurar a maneira mais fácil para se locomover. Sendo assim, pode ser que ele comece a engatinhar para trás, muitas vezes por ter mais força e controle nos braços do que nas pernas. Mas isso não significa que ele não vá se mover para frente em algum momento e também não o prejudica. Quando ele se sentir mais confiante e com mais força nas perninhas, naturalmente vai mudar sua forma de engatinhar, se assim se sentir melhor.

Engatinhar para frente ou para trás, se arrastar quando está sentado, dar pulinhos como “sapinho” ou rolar para chegar onde quer, são movimentos comuns nesta fase. Não importa muito como ela faz, mas sim que a criança tenha vontade de se movimentar entre os espaços de casa.

 

Quais cuidados devo ter quando o bebê começar a engatinhar?

Quando menos esperar, seu pequeno já estará explorando cada canto da casa. Por isso, procure manter objetos e móveis pontiagudos protegidos para evitar acidentes. Tente ver a casa com o olhar da criança. Pense: “o que ele pode alcançar e que pode machucá-lo?”, e tente mudar.

Você pode cobrir as tomadas, revestir as quinas dos móveis com material emborrachado, deixar os fios de eletroeletrônicos fora do caminho dos pequenos e evitar que eles se enrosquem ou que levem choque.

Leia também  Como ajudar seu filho a lidar com a raiva

Lembre-se também, de que as crianças costumam levar a mão – e as vezes os pés – à boca, então seria interessante também estar atento quanto a limpeza e pedir que as visitas, assim como os próprios pais, tirem os sapatos ao entrar em casa, chegando da rua.

A atenção deve ser redobrada nos casos de casa com escadas, pois geralmente elas despertam curiosidade e chamam atenção dos bebês. Mantenha-os distantes delas.

 

Vacinação X Engatinhar: existe relação entre as duas coisas?

A vacinação é importante para a saúde e são aplicadas desde o primeiro mês de vida do bebê. No inicio da vida, com mais frequência e depois com espaços de tempo maior. Porém, algumas delas costumam ser aplicadas nas coxas dos bebês e tendem a ser mais doloridas.

Coincidentemente, estas são aplicadas nesta fase do engatinhar, o que pode fazer com que seu filho sinta incômodos ao se movimentar e pare de engatinhar por alguns dias. Isso é normal e seu pequeno deve voltar a engatinhar em poucos dias após a aplicação. Fique atento quanto ao tempo de retorno das atividades do seu filho e não deixe de incentivá-lo, para que ele não tome medo de engatinhar.
IMPORTANTE: Não deixe de vacinar seu filho por isso.

Até os 12 meses, seu filho já deve estar engatinhando com excelência. Este é o tempo médio para que ele esteja engatinhando e pronto para, literalmente, os próximos passos, que será andar.

Mas, lembre-se: cada criança tem um desenvolvimento diferente da outra. Seu histórico de progresso como sustentação da cabeça e pescoço, virar de um lado para outro quando está deitado, sentar-se sozinho ou se o bebê nasceu prematuramente, pode interferir no seu tempo de evolução. Evite comparar seu filho à outras crianças e, em caso de dúvidas, ou demora excessiva em seu desenvolvimento, procure seu pediatra.

Continue aqui no blog e leia mais matérias sobre o universo infantil, por exemplo, essa sobre Como amamentar corretamente.

Aproveite e curta nossa página no Facebook e siga o nosso perfil no Instagram.